sexta-feira, 22 de maio de 2009

Apresentação

A sete de Janeiro de 1964, nasceu em Luanda, Angola, um Caçador que tem o Nordeste Transmontano, como as suas origens.
Locais tão distintos como distantes.
Distintos no clima, no relvo e na cultura. Distantes ao ponto de se situarem em hemisférios opostos, o que proporciona um olhar diferente para a mesma estrela que aquece e ilumina estes dois locais, neste mesmo planeta.
Talvez pelo facto, de este Caçador ter tido contacto com estes dois mundos, tão diferentes, o leva a admirar a Natureza, ao ponto de considerar ser o maior valor da Humanidade, consequentemente é na Natureza onde o ser Humano melhor se deve sentir.
E é da Natureza, que o Homem tem retirado tudo o que lhe proporcionou a evolução que sofreu, desde pré-história, até aos dias de hoje.
Mas foi através da Caça que conseguiu retirar da Natureza o seu maior sustento, para sobreviver, e dominar o mundo em que vive hoje.
Portanto esse Caçador considera a Caça, o acto mais nobre que Homem pode praticar.
Esse Caçador, é o Homem que acaba de escrever este texto.

Fernando Marcos

Ser Caçador é ser respeitador da Natureza

"Mas é evidente que a minha condição de caçador desportivo não me levava a procurar os animais bravios apenas para os acompanhar e observar.
Acompanhava-os e observava-os porque entendia que se conhecesse o modo como viviam, melhor os poderia caçar. Por isso, ainda que tivesse na frente adversários poderosos e astutos, sempre considerei que, apesar de vencidos, os heróis eram eles e não eu."

Texto retirado da Obra de Aleixo Costa, "ÁFRICA Homens e Animais Bravios"

Fernando Marcos